Três Estações Nocturnas

  • Entidades Organizadoras

    Galería Baginski
  • Três Estações Nocturnas, a quarta exposição individual de PAULO BRIGHENTI na Galeria BAGINSKI, parte da construção do poemário “Noite de Pedra” pelo escritor e artista plástico português Luís Veiga Leitão (1915-1987). Preso político do Estado-Novo em 1952, Veiga Leitão redigiu mentalmente o conjunto de poemas que compõem o livro e que expressam sentimentos de solidão, denuncia e resistência, guardando-o no pensamento até à sua publicação, após ter sido libertado. É esta sensibilidade proveniente de uma luz ideológica, emergente das crenças pessoais de um individuo e mantida sem esmorecer sob as piores circunstâncias, que Brighenti procura resgatar nesta exposição, recorrendo a uma expressão derivada do peso dos materiais e a elementos de formalismo pictórico que impõem contrastes violentos entre fundo e imagem, objeto e matéria, cromatismo e forma. Composta a três tempos – núcleos de pintura, escultura e desenho –, a exposição circunda entre o peso da noite e o delírio do sonho. PAULO BRIGHENTI (Lisboa, 1969) vive e trabalha em Lisboa e expõe regularmente desde a década de 1990. Entre as exposições individuais destacam-se: Skiin, Nässjö Konstall, Nässjö, Suécia (2015); Pó, Fundação Carmona e Costa, Lisboa; Pó, Rooster Gallery, Nova Iorque, EUA (2014); A Grande Fogueira, Appleton Square, Lisboa; Negativland, Galeria Baginski (2010); No Means No, CAV- Centro Artes Visuais de Coimbra, Coimbra; Corpo Negro, Sala do Veado, MHN, Lisboa (2011). Das exposições colectivas destacam-se: Animalia e Natureza na Colecção do CAM, Centro de Arte Moderna – FCG, curadoria de Isabel Carlos e Patrícia Rosas (2015); Sincronias: Artistas Portugueses na Colecção António Cachola, MEIAC, Badajoz (2013); A culpa não é minha: Obras da Colecção António Cachola, Museu Colecção Berardo, Lisboa, curadoria de Eric Corne; Personal Freedom – Bienal Portugal Arte’10 comissariado por Johannes Van der Beek, Lisboa (2010); Guardi, Centro Cultural de Belém, Lisboa (2003);Últimos Dias e Sete Artistas ao Décimo Mês, Centro de Arte Moderna – Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (1996); Em 2002 ganhou o Prémio Revelação Fundação Arpad Sczenes – Vieira da Silva, Lisboa.

  • Dónde

    Galería Baginski / Lisboa, Portugal
  • Inauguración

    31 ene de 2018  /  22:00

  • Artistas que participan en Três Estações Nocturnas



Recibe alertas de eventos como éste

ArtCity

Descárgate ArtCity, la app que te dice que exposiciones tienes cerca.

descargar