Lin Lima. 100 horas

100 horas

  • Entidades Organizadoras

    Jaime Portas Vilaseca
  • As 100 horas de Lin Lima Leituras, rabiscos, anotações e cochilos desenham a exposição do artista plástico Lin Lima abre sua décima exposição individual com uma inquietante sequência de obras que remetem à mobilidade e imobilidade de nossos dias. Em 100 horas, a matéria prima é o tempo, aquele que se considera perdido entre as idas e vindas no trânsito de uma grande cidade. O artista - que soma mais de 50 coletivas e trabalhos expostos na França, Suíça e Colômbia – realiza sua primeira parceria com a crítica de arte e curadora da exposição, Daniela Name. A partir de 05 de setembro, o público poderá conferir o resultado da pesquisa que mescla o caos e o universo onírico das viagens de ônibus entre a cidade de Niterói à Zona Oeste do Rio, em desenhos que fazem referência a pequenos devaneios de Lin durante os cochilos que tirou ao longo de seu percurso. A exibição fica até outubro na Portas Vilaseca Galeria, que acolhe e representa Lin Lima pela segunda vez. "Em 100 horas, Lin Lima expande a ideia de desenho para pensar as cartografias e mobilidades em uma cidade. É uma mostra que trata de movimento, mas também de nossa dificuldade para sair de nosso lugar de origem, nossa imobilidade. Nesse conjunto de trabalhos, Lin explora o desenho como uma reflexão sobre o lugar que ocupamos no mundo, índice de uma cartografia subjetiva e imaginária que construímos dia após dia", diz Daniela Name. Lin conta que a ideia do novo projeto surgiu quando viu, pela janela do ônibus, um homem, puxando um “burrinho sem rabo”, pedir passagem ao motorista do BRT. “Bem-humorado, o senhor que aparentava ter por volta de 60 anos, sorrindo, pedia uma forcinha para o colega de cargas. Ao sinal do motorista, atravessou correndo com seu carrinho em meio ao caos do trânsito do subúrbio carioca. Poucos minutos depois, em outro sinal, deparei-me com uma academia, onde pessoas mal-humoradas e carrancudas “caminhavam” em suas esteiras, algumas olhando impacientes para o relógio, contando os minutos para sair daquele sofrimento... Esse contraste, aliado ao fato de eu já ter calculado meu tempo mensal de 100 horas em trânsito, levou-me à peça central da exposição, que também dialoga com nosso atual momento político, caduco e polarizado". Daniela Name completa: “Creio que as pessoas que vierem visitar a exposição vão achar que estão vendo um outro Lin Lima. Mas é o mesmo artista, apenas apresentando novas potências das inquietudes que norteiam o seu trabalho".

  • Horario

    De 2ª a 6ª das 11h às 19h e aos sábados das 11h às 14h
  • Dónde

    Jaime Portas Vilaseca / Rio de Janeiro, Brasil
  • Inauguración

    05 sep de 2017  /  19:00

  • Artistas que participan en 100 horas


    Comisarios/Curadores de 100 horas

     

     



Recibe alertas de eventos como éste

ArtCity

Descárgate ArtCity, la app que te dice que exposiciones tienes cerca.

descargar